sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Alma

— Pronto, senhor. Aqui estou eu
— Fala aí. O quê que manda?
— Passei minha vida inteira sem cometer pecado algum.
— Sério?! E daí?
— Como “e daí?”? Por toda minha vida me sacrifiquei e tentei seguir a tua palavra. Acho que chegou a hora de receber algo em troca.
— Ah, malandro. Não me leve a mal, mas o conceito que você tem de pecado foi apenas uma forma pra te condicionarem dentro de um sistema.
— Hein?
— Tolices criadas por homens tolos para homens tolos.
— Então quer dizer que minha vida de privações foi em vão?
— Deveras!
— Puxa! Morri virgem aos 35 anos só porque me disseram que sexo só depois do casamento. E nesse tempo não consegui uma pessoa legal.
— E aquelas gatinhas que te rodeavam?
—Bem, já que estou morto, vou dizer: eu gostava mesmo é de gatinhos. Mas me disseram que era errado, que eu viraria lobisomem.
— Do barulho!
— Trabalhei amargamente como contador numa sala abafada, mas o que eu queria mesmo era ser tatuador. Diziam que era errado marcar nossos corpos. Deixei de ir a festas, bebedeiras, curtição… Não vivi minha vida. Não fiz nada na minha vida.
— Lastimoso.
— Então, onde estamos afinal? No Céu ou no Inferno?
— Cara, estamos aí. Tipo assim, em outra dimensão, saca? Essa parada de “bem” e “mal” não existe, nem nunca existiu.
— Mas me disseram que o senhor ficava olhando nossas vidas e julgando nossas ações.
— Sinistro, aí! Nada a ver. Eu não julgo, meu. Seria absurdo julgar quando dei o livre-arbítrio. Não poderia fazer uma coisa dessas. Por isso que fico o dia todo jogando The Sims.
— Oh! E o que tem pra se fazer aqui?
— Nada, só um vazio infinito. Ao contrário da sua vida, morou!?
— …
— Foda, né?
— É.

10 comentários:

Wander Veroni disse...

Olá!

Parabéns pela crônica. Realmente devemos fazer aquilo que nos deixa feliz. Isso sim que é viver uma vida plena...hehehe. Adorei a crônica!

Abraço :)

Luana Bernardes disse...

Sensacional o texto. Boa reflexão! =)

williamgomes disse...

Taquepariu! Que dialogão é esse!

Antes de qualquer livro, trate de escrever uma "coletânea de diálogos divinos", que seja nada parecido com aquele do filme do livro.

Poxa, parabéns mesmo.

Pedro disse...

Muito bom o texto!!

=)

Rafa disse...

Putz brow maneirissimo o texto!!
ele é seu?? criativo..

Bom humos e ainda com uma reflexão pra tudo que é maniqueísta demais.. ainda mais q tudo é tão relativo,, qto mais o bem e o mal e tal!!!

gostei demais,, e Deus nessa Vibe " trankuilaço" só deixou melsjor!! hehe

ABs..

http://culturapoperudita.blogspot.com/

Fabiano Che disse...

As pessoas tem a infeliz mania de "colocar palavras na boca de Deus". Pegam seus valores e dizem que é Deus que pensa assim.
-"Nada de palavroes filha, Jesus não gosta"- e por aí vai...

Isso faz voce (eu) se perguntar: Será que Deus realmente disse alguma coisa ou foi tudo "tolices criadas por homens tolos para homens tolos"?

Mas quanto ao texto,bem, quando se tem um post assinado por Giuliano Marley e Deus como interlocutor, pode se esperar um texto no minimo sensacional.
O pardigma foi cumprido.

P.S.: Pensei que o excelentissimo Sr. Marley não daria as caras por aqui nesse decenio.

.outsid3r disse...

Muito maneira a crônica, espero um dia conseguir escrever desta forma! parabéns!

Vinicius Oliveira disse...

Parabens por fazer as pessoas refletirem com suas palavras

http://viniciusoliveiraa.blogspot.com/
comenta, me siga e vote na enquete

Nicácio disse...

Muito bom, aliás, todos esses seus textos de conversa com Deus, a carga de humor é quase que uma purificação do sentimento religioso hehhehe

Vanessa Gomes disse...

Giuliano, meu querido. E eu que nunca mais tinha lido um texto seu.

É finita. É bonita. Vamos aproveitar e...

Ótimo texto!
=)