domingo, 18 de outubro de 2009

A felicidade está no caminho

— Oi, Deus, você está aí?
— Claro, sempre.
— Então me diga, o que é a felicidade, afinal?
— Seja mais específico.
— Sabe, estou quase sempre insatisfeito. Mesmo conseguindo as coisas que desejo ainda não consigo me declarar feliz… Verdadeiramente feliz.
— Siga-me.
— Aonde vamos?
— Vou te mostrar a felicidade.
Após três quartos de hora caminhando, ambos chegam ao cume de uma montanha.
— Falta muito?
— Chegamos!
— Sério? Mas cadê a felicidade que disseste que me mostraria?
— Está sob seus pés.
— O quê? Essa flor amarela?! Ela me dá algum tipo de poder ou algo assim?!
— Não, do lado da flor.
— Ahhh… O que há do lado da flor?!
— Essa pedra.
— Essa pedra?! Ela é que vai me fazer ter lasers pelos olhos?
— Por favor, chega de falar bobagem! Essa pedra é a felicidade que te prometi mostrar.
— O quê? Mas o que tem de especial nessa maldita pedra?
— Nada! É apenas uma pedra como qualquer outra.
— Caralho! Nós andamos por mais de 45 minutos, subindo essa porcaria de montanha, furei meu pé num espinho, com uma forte dor no nervo ciático, num sol quente da porra pra olhar uma pedra como outra qualquer?
— Sim.
— Sim? Mas que frieza…
— O que você esperava?
— A verdadeira felicidade.
— Ah, tá, mas o que você viu pelo caminho?
— Bem, vi pássaros gorjeando canções serenas, lindas e perfumadas flores, a água da cachoeira sendo derramada, formando uma chuva fina, o nascer do sol reverberando nossos corpos — ou pelo menos o meu —, e muita coisa maravilhosa, sabe!? Caminhei com tanta ansiedade para ver o que era a felicidade.
— E o que você sentiu enquanto subia e via tudo isso?
— Sentia-me…
— …enquanto ansioso para ver a felicidade…
— Sentia-me muito bem.
— Muito bem quanto e como.
— Verdadeiramente bem… e feliz.
— …
— Porra, então é isso!? Agora eu entendi. A felicidade verdadeira está no meio e não no fim, não é isso? A felicidade verdadeira está no caminho, no trajeto rumo ao meu objetivo. O objetivo final não passa de uma simples pedra no cume de uma montanha, pois a verdadeira felicidade está em chegar lá, passar por todas as situações, todas as sensações — boas ou ruins.
— Sabia que você entenderia.
— Claro que sabia, mas… Como aplicar isso em termos práticos?
— Sonhe! Sonhe sempre. Nunca deixe de sonhar nem deixe de aspirar a alguma coisa. Sempre queira alcançar seus objetivos e, quando alcançá-los, busque outros, pois enquanto estiver caminhando, sentirá sempre a verdadeira felicidade.
— Porra, então… Agora vejo como eu era feliz enquanto passava pelas etapas que me levou aonde estou. Agora que cheguei onde há tempos queria chegar, tudo parece tão banal... apesar de eu me sentir apenas feliz. Preciso de novos objetivos, certo? Não posso ficar estagnado. Quero sentir a verdadeira felicidade de novo. Deixe-me ver, qual o meu objetivo agora? Tentar fazer com que as pessoas absorvam um pouco do que pude constatar com minha experiência sensível!?
— Não, você nunca encontraria a pedra, e ficar andando sem nunca chegar ao cume te faria infeliz.
— Já sei! Vou continuar a escrever meu livro e publicá-lo. A emoção de ver o desenrolar da história com Glauber — ou Ivo — e Andréia me faria verdadeiramente feliz. Pode até ser que eu me sinta decepcionado quando vender milhões de exemplares, mas e daí?! Vou clicar em publicar esse texto e caminhar um pouco.

“Poltronas desconfortáveis e estradas esburacadas tentaram chamar sua atenção para os riscos que estaria prestes a correr. Quase que lhe avisavam debalde sobre o quão perigoso era esse lugar. Só que, às vezes, esquece-se dos riscos quando se tem um objetivo traçado; às vezes, esquece-se dos riscos quando se está envolto num forte sentimento. Ivo se encontra nesse duplo esquecimento.”

— Nunca pare de ter objetivos na vida.
____________________
Giuliano Marley

7 comentários:

Fabiano Che disse...

Apesar de estar um pouco meigo ( é vc mesmo giuliano?) o post ficou bem interessante.
COmo já diziam as frases feitas, "Faz vc pensar sabe?".

Realmente, vc só segue em frente quando há algo para se seguir. Seja um emprego, uma mulher, um carro ou qualquer outra coisa. Você só se levanta pela manhã por que tem algo pra fazer.

Mais ou menos isso.
No mais, post muito bom, finalmente voltou das férias.

P.S: O Paraná fez de Giuliano meigo...

Jel S. disse...

Pois é,companheiro...
Não acredito muito nessa tal de felicidade,sabe? Não que eu seja uma pessoa armagurada!
Mas a felicidade, plena, aquela do sentido literal mesmo, eu acho que é inatingível!
Ninguém é completamente feliz... quanto mais se tem, mais se quer... somos insaciáveis!
Felicidade é utópico, é busca, é movimento!

Ah, e obrigada pelos comentários sempre empolgados (e empolgantes!) lá no meu humilde blog! Volte sempre que quiser, será sempre bem vindo!
___
http://planetabandonado.blogspot.com/

william disse...

Retado, cara! Pela grandiosidade da obra, é até pouco chamá-lo de texto.
Não sentia satisfeito por completo numa leitura, até então.
Pra mim, isso aí excede todas as habilidades que um texto possa oferecer ao leitor.
Magnífico!
Eu agradeço por cada parágrafo.

Minerva 02 disse...

Gostei do seu texto muito bonito...
A felicidade as vezes esta nas pequenas coisas ^^

Fabiano Che disse...

Deus é Morgan Freeman?

Quem é Andreia?

Blogueira disse...

Gostei do texto, mas a felicidade é momento, um instante.

May Pêra disse...

felicidade.. é uma mistura de sorte e boas escolhas :) hehehehe

beijos, adorei o post