sábado, 20 de fevereiro de 2010

Mais perto do Céu

Hey, doc.

Mas que diabos! O diabo! Eu espero ansiosamente pra conversar com Deus e é você que aparece... De novo.

Que isso, man. Todo mundo sabe que comunistas são ateus.

Então... Veio me tentar a observar a vizinha tomando banho? Já disse que não vou fazer isso de nov... Quer dizer...

Nada disso. Hoje vim lhe contar uma história. Por favor, sem interrupções. Cale-se e escute: Era uma vez em um país muito distante, vivia um jovem cantor de uma banda de black metal, seu nome era Steven.
Steven era talentoso, mas também era muito tímido, e como timidez não é uma característica que combina com o mundo do rock, não conseguia empolgar o público com sua performance inibida.
Em uma ensolarada tarde de sábado, quando Steven chegou a garagem, que eles chamavam de “estúdio”, descobriu que havia sido substituído. Colocaram outro pra cantar em sua banda. Aquilo acabou com ele. Cantar era sua vida, entoar cânticos supostamente satânicos era sua razão de viver.
Steven saiu correndo, chorando feito um cantor de rock frustrado. Foi em busca da única outra coisa que o fazia sentir vivo, ligado, moó legal. Mulheres? Álcool? Drogas? Nada disso. Literatura gótica.
Horace Walpole e Edgar Allan Poe eram a paixão de Steven. Enquanto procurava O Castelo de Otranto em uma prateleira imunda e velha de uma biblioteca ainda mais imunda,
Steven viu o livro que mudaria pra sempre sua vida: 7 Passos simples para vender sua alma, por Giulione Marloy.
O livro prometia que em troca de sua alma, poderia se realizar todos seus desejos. Havia umas letrinhas miúdas na última página sobre algo como sofrimento eterno, mas Steven não reparou.
E foi assim que em uma primaveril meia noite em um aconchegante cemitério, Steven realizou o “feitiço”, que não era tão simples assim, (onde arranjar sangue de bode?) e vendeu sua alma para o Diabo, vulgo eu. Seu desejo era ser uma estrela do rock!!
Desse dia em diante, Steven começou a cantar em barzinhos, a timidez tinha ido embora, e rapidamente começou a fazer sucesso. Suas canções sobre o abate de filhas e guerra de porcos emocionavam as pessoas.
Ganhou prêmios, fez turnês internacionais, ou seja, seu sonho finalmente havia se concretizado. Em seu jatinho particular, a alguns mil pés de altura, pensava em como sua vida mudara desde o pacto. Steven percebera que sua voz não tinha mudado, mas que ganhara uma grande confiança em si mesmo, como se o pacto fosse o empurrão que ele precisava para buscar seus objetivos.
E no exato momento que seu avião sobrevoava o Vaticano, Steven entendeu tudo! Não foi o pacto que lhe dera forças para vencer a timidez! Foi sua própria vontade! Aquilo surgiu de dentro pra fora e não o contrário! Foi aí que ele deu a maior gargalhada de sua vida! Pacto? Demônio? Como tinha sido tolo! Então começou a cantar. Compôs uma lindíssima canção, você precisava ouvi-la!


Que bela história! E o que aconteceu depois? Ele continuou com sua vida de felicidade e sucesso?

Na verdade não. Enquanto Steven cantava, o piloto perdeu o controle e o avião caiu no mar, e todos morreram com o impacto...

Que tipo de história é essa? Cadê a moral? Você é sádico por acaso?

Ahn... Sim. Eu sou o diabo, lembra?

...
_____
_______________
Fabiano Che

5 comentários:

Giuliano Marley disse...

O livro "7 Passos simples para vender sua alma" me traz lembranças... mas não sei de onde... é quase como aquela doença que dá em franceses... Déjà vu (O que pensa que eu sou?/Se não sou o que pensou, me libera/Não insista/
Vai viver um outro amor).


De qualquer maneira, ri muito. Que final à lá Bozena...

E no fundo algo fantástico. A frase "surgiu de dentro pra fora e não o contrário" se compreendida... cara... faz com que o mundo pareça um bom lugar pra se viver.

As pessoas precisam de um maldito placebo. Placebos absurdos que ganham vida e que guiam suas vidas eternamente. Já falei alguma vez que as pessoas são loucas?

williamgomes disse...

Essas conversas me faz conhecer Eles sem estar com Eles.

Muito massa.
Próxima, ou de cima ou de baixo.

Luciana Paraiso disse...

huashuahsua
Amoo humor negro, parabéns!
E literatura gótica? booooa rsrs

Anônimo disse...

Ola, what's up amigos? :)
Hope to receive any help from you if I will have some quesitons.
Thanks and good luck everyone! ;)

Vanessa Gomes disse...

IAUHiahiuha...

Eu ri com o final. Brilhante.

Genial texto.

Postem mais, por favor!