domingo, 19 de dezembro de 2010

Feliz Natal!

Então é Natal. Tempo de paz. Hora de rever os planos. Tempo de amarmos uns aos outros. Hora de entrar nesse lindo furacão capitalista, e comprar presentes caríssimos pros seus entes queridos. Ah, é natal. Hora de celebrar o nascimento daquele que morreu por nós. E que celebração mais apropriada do que nos empanturrarmos com panetones, avelãs e carne de peru ou chester ( que diabos é um chester, afinal?). 

Nada me emociona mais que ver criancinhas no colo do Papai Noel aprendendo o valor que devemos dar aos presentes. As criancinhas ricas devem se comportar maravilhosamente, pois sempre recebem  os melhores . E, em vez de aprender com seus irmãos mais favorecidos, os garotinhos e garotinhas pobretões se portam tão mal o ano que não me admira não ganharem NADA nessa data tão especial que é o natal. Também, quem manda elas não comerem NADA no almoço? 

Outra coisa que me traz lágrimas aos olhos é a generosidade. Tomados pelo "espírito natalino" (com aspas bem grandes), as pessoas se juntam para montar o que chamam de Natal sem fome. Fazem mutirões onde arrecadam comidas, roupas e brinquedos (bem vagabundos, não vamos abusar da bondade deles né?). Pelo menos no Natal ninguém passa fome. De janeiro em diante eles que se virem. Pois, aparentemente, o espírito natalino só dura no Natal. Me pergunto o porquê.

Pois bem, meus caros, essa é a mensagem de amor e harmonia que humildemente tentei passar. Um Feliz Natal à todos!! Jesus deve estar tão orgulhoso!!
__________________
Fabiano Che

3 comentários:

Rodrigo Santos disse...

Texto super irônico hein?
Adorei :)
É o espírito natalino que move o capitalismo e deixa instantaneamente as pessoas mais caridosas.
Engraçado né?!
Depois que passa é "dane-se o mundo, eu tenho dinheiro".
Lamentável... lamentável...
Mas pelo menos no natal as coisas "melhoram" né. Melhor que nada :)

Bersebah disse...

Ola Fabiano e Giuliano!

Ao que percebo eu fui um dos unicos que realmente foi capaz de lhe escrever.

Natal é algo que mexe muito com as pessoas, e falar dele...é algo um tanto delicado, eu posso afirmar.

Eu concordo muito com o que disse, inclusive, postei algo, talvez...similar no meu blog, em certos sentidos.

Bem...por um lado eu aprecio o natal, como uma experiencia pessoal, algo familiar, e o sentimento que me foi passado por meus pais, e familia.Este é o ponto positivo, que é o de comemorar de forma religiosa, de fazer a ceia, esta junto com quem se ama, muitas vezes também, tempo de se perdoar, e começar uma nova história.

Entretanto, também como colocou, a data ganha uma dimensão muito consumista, falando sobre os presentes, e toda a organização da data em si.
É perceptivel também o que falou, de um subito sentimento de caridade, que com o tempo desaparece.
Mas por um lado, mesmo que pequeno, em certas pessoas, ele existe. Só precisa, talvez, de um estimulo maior.

Entretanto, não só o brasileiro, mas o mundo em geral, durante os demais dias do ano, sofre de uma certa preguiça, comodismo, e egoismo, não se atentando, ou poderia dizer, ignorando, não pensando, neste tipo de tema. Enfim...é algo complexo, tão quão o próprio ser humano é.

Amigo, acredito que baste, ou esse comentário ira ficar demasiadamente longo. Entretanto, blogs como o seu merecem tal consideração.

Fica um abraço para você,desejo de felicidades, e muita paz nesse ano que chega, tudo de bom.
Não deixe de expor sua opinião no meu espaço também, adoro suas idéias.

Bersebah

Giuliano Marley disse...

Cool!