sábado, 23 de maio de 2009

“Quis custodiet ipsos custodes?”

Das sátiras de Juvenal, essa expressão traduzida do latim significa “Quem guardará os guardiões?”.
Há dezenas de situações aplicáveis para essa frase, mas demos atenção à nossa polícia. Se essa corporação age como guardiã da sociedade, então quem irá vigiá-los para ter certeza de que não são perigosos? A Justiça? A população? Hum! Creio que não. Esqueceu-se que estamos no Brasil?
Diabo! Estávamos um colega e eu passando pelas ruas da minha cidade e comentando sobre a estupidez dos motoristas desse lugar, que estacionam embaixo dos semáforos e burlam outras leis de trânsitos, quando, no semáforo seguinte, nos deparamos com dois policias com motos, ambos parados sob a sinaleira e sob uma placa bem grande com uma letra “E” gravada e sobposta a duas faixas entrecruzadas (proibido parar e estacionar). E não estavam numa ocorrência, não! Pararam pra olhar as novidades da barraca de CD pirata de Damião.
Não contei ainda a vez que fui a não importa onde de ônibus e houve uma pequena discussão entre os PMs que ali estavam e o motorista. Parece que, por Lei, até duas pessoas em situações especiais podem viajar de graça nos ônibus de quaisquer empresas, onde “especiais” entende-se policiais, oficiais de justiça e todo esse adubo. Só que três policias estavam no veículo, todos sem bilhete, nenhum com a farda (que é uma exigência para consumar a sua distinção). Queriam porque queriam continuar a viagem gratuitamente, mesmo alegando terem ciência das regras. Diziam também que sempre viajaram daquela maneira. Oh, God! Giuliano Marley e sua habilidade contra-argumentativa redargüiria de forma que, supostamente, os faria entender que só porque sempre erraram, não quer dizer que podem errar sempre. A minha vontade de falar muitas verdades pros custodes foi intensa, entretanto coldres nas cintas me fariam levar chumbo quente nos cornos.
A decisão do motorista em não continuar com a viagem naquela situação foi soberana, e ficamos todos parados ali até perceberem o quão inflexível era o chofer. Finalmente um deles cedeu e comprou a passagem.
Que sejam pederastas passivos os policiais do Brasil, que espancam homens e mulheres, idosos e crianças, qualquer um, todos já dominados e com as mãos na cabeça. Que reúnem um batalhão de soldados quando há alguma baixa, mas nem se movem quando um maldito cidadão sofre alguma brutalidade. Que pedem identidade pra depois me bater.
Essa não me parece uma atividade exclusiva aqui do fim do mundo. Se a caixa não estiver mentindo mais uma vez, como sempre faz, então digo que isso acontece em todos os lugares do País, inclusive onde a fiscalização… exis… existe (wow, quase não sai). Eles apenas olham a nuança de tua tez e decidem instintivamente se te batem ou se te batem muito.
P.S.: é comum jogarem álcool no árabe por causa de suas críticas ácidas. Porém… não risque o fósforo ainda, pois não falo de todos… apenas de quase todos.

8 comentários:

SAL disse...

tipo, eu curti o titulo, bom pra uma tattoo
heheeh.

Podolski88 disse...

Que sacanagem é esse nosso pais hein?

Esse povo não merece as leis, os governantes que tem...

nós, brasileiros somos grande demais para isso =/

fazer o que... Quem sabe podemos fazer para nossos filhos esse Brasil ser um lugar melhor ^^

Sou Brasileiro e não desisto nunca!

Abraço, ótimo blog cara

PS: pode voltar sempre no meu, tentarei atualizar diariamente sempre com todas as noticias precisas e diretas sobre resultados de jogos =D

http://popofutebol.blogspot.com/

Jonathan Menezes disse...

Obrigado pela visita, estou seguindo o seu, se puder segue o meu tbm

Vanessa disse...

Esse texto me lembra a música "Veraneio Vascaína", que fica deliciosamente linda cantada por Capital Inicial.

"(...)Tanto faz, ninguém se importa se você é inocente. Com uma arma na mão eu 'boto' fogo no país, e não vai ter problema, eu sei. Eu estou do lado da lei..."

Ouça! Veraneio Vascaína, muito boa!

Ah, precisa dizer 'ótimo texto'?

Obrigada pelas visitas!

Vanessa Gomes. disse...

Ops, este é o profile oficial!

^^

Adm. Marcelo Leite disse...

Gostei muito
Muito bom seu blog.

Fabiano Che disse...

Boa iraquiano. \o/

william disse...

Ah, se o país fosse tão bom quanto o texto...